e-commerce de moda
E-commerce de moda: 9 dicas para o sucesso
24/12/2019
loja de cosméticos online
Como aumentar as vendas de uma loja de cosméticos online
10/01/2020

Tendências do e-commerce 2021: conheça e prepare-se

tendência do e-commerce

Já estamos em meados do primeiro semestre e é hora de avaliar se o seu e-commerce está em sintonia com as tendências do mercado. Selecionamos alguns pontos de atenção e adiantamos também que é muito importante ficar de olho nas novas tecnologias, assim como datas comemorativas. Mas não só!

No último ano, a previsão global do eMarketer era de queda no faturamento dos e-commerces. Isso porque em 2017 o crescimento foi de 28% e em 2018, de 22,9%. Já em 2019, o resultado caiu para 20,7% e a queda muito provavelmente continuaria – apesar de não ser muito expressiva – se não fosse a pandemia de Covid-19. O que aconteceu em 2020 foi justamente o contrário do previsto, a quantidade de e-commerces e o faturamento obtido por eles no Brasil deu o maior salto dos últimos 20 anos!

O que é tendência do e-commerce em 2021?

É muito importante atualizar o seu e-commerce para sempre vender mais e ter um crescimento sustentável. Para que isso seja possível, é preciso entender o que é tendência no comércio eletrônico e estar por dentro das novidades, ferramentas e recursos. As dicas a seguir são válidas para quem já possui uma loja online e para aqueles que desejam investir nesse setor, que vive um de seus momentos mais promissores!

Presença em um marketplace

Essa é uma das principais tendências do e-commerce e você precisa entender o potencial de estar inserido em um marketplace – ou até mais de um! Esteja o seu e-commerce focado no comércio local ou na atuação nacional, um marketplace pode ser um bom investimento.

Pegue o exemplo da Amazon, apesar de ser um grande player do mercado e-commerce e, um grande concorrente, você pode usar as mesmas estratégias da empresa para aumentar as vendas da sua loja online. Portanto, acompanhe, analise e procure saber o que a Amazon faz (e como faz) para vender os seus produtos e replique as mesmas estratégias.

É claro que você não vai fazer uso de todas as estratégias que aparecem. Verifique os preços, promoções, frete grátis e até mesmo a forma como são apresentados os produtos: imagens, vídeos, descrições, títulos e assim por diante. O que for viável e valer a pena no custo, busque aplicar em seu e-commerce.

Mobile e Voice commerce com força total

Essa tendência do e-commerce se fortalece cada vez mais.  É fundamental que você adapte o seu site, loja online e o negócio em si para facilitar e permitir a pesquisa, visualização e compra via dispositivos mobile. É pouco dizer que se trata de uma tendência do futuro. Muito pelo contrário, é algo do presente e aqueles que não se adaptarem ao m-commerce para aumentar as vendas, ficarão para trás no mercado.

De acordo com as pesquisas da WebShoppers Ebit/Nielsen, divulgados pela Fecomercio SP, a tendência é que os pedidos mobile sejam cada vez maiores que aqueles feitos por desktop. Para conseguir acompanhar, o primeiro passo é tornar o site responsivo, ou seja, com layout que se adapte a diferentes aparelhos e telas. E, em seguida, desenvolver um aplicativo que permita a compra online.

Outro ponto que deve ser destacado como tendências do e-commerce é a possibilidade da pesquisa por voz (voice commerce). Além de ser mais inclusivo, esse tipo de adaptação melhora a experiência de compra; tem foco estratégico voltado para o cliente e permite criar uma identidade única da marca, além de oferecer conforto e praticidade. Portanto, pense em como cadastrar os produtos para que seja possível apontá-los como resultado principal numa pesquisa por voz.

SEO para localizar, vídeo para converter

É muito importante saber como apresentar os produtos, não apenas para os clientes que já conhecem a sua loja online, mas também para os motores de busca, de forma a alcançar novos e potenciais compradores. Portanto, invista no SEO e procure criar títulos e textos com palavras-chave que representam o seu negócio, assim como o produto.

Porém, se preocupar apenas com os aspectos tecnológicos não são o bastante. Também é preciso humanizar o contato com o consumidor através de palavras, expressões e contextos que possivelmente fazem parte de sua realidade e rotina. O algoritmo do Google está cada vez mais inteligente e reconhece expressões completas e não somente palavras aleatórias destacadas em sequência.

Além de investir no marketing de conteúdo, você deve estar atento também às imagens. Utilize fotos detalhadas e em boa qualidade, além de oferecer a opção de apresentação do produto em vídeo! Essa é mais uma das fortes tendências do e-commerce: equilibrar o texto, com opções de imagens e vídeos que mostrem a realidade.

Shoppable

Uma tendência “muito Black Mirror” que não tem nada de ficcional e se concretiza em 2021 é a possibilidade de comprar os itens que você vê os artistas usando na TV. Seja a camisa do seu time que o jogador está usando, um objeto decorativo na série ou um par de sapatos de algum filme. O “NBC roled out Shoppable TV Ads” cumpre exatamente esta função, e a Netflix está desenvolvendo um app dentro do mesmo segmento que permitirá aos espectadores comprar itens disponíveis escaneando os produtos via QR Code.

Personalização do atendimento e formas de pagamento

Criar uma estratégia que aproxime o vendedor com o seu cliente é fundamental. Portanto, crie alternativas de atendimento personalizado para humanizar essa interação virtual. 

Investir no pós-venda também faz parte dessa estratégia. O cliente quer se sentir especial e ouvido. É preciso demonstrar que também a partir de uma compra online a loja valoriza e agradece a preferência e está interessada em acompanhar, ouvir e melhorar o seu atendimento através de feedback.

Vale dizer que também é importante estar atento a novas possibilidades de pagamento. O Pix, por exemplo, pode ser a forma do seu cliente finalizar uma compra. Ao disponibilizar essa opção em seu e-commerce, você personaliza o atendimento a mais uma das possíveis escolhas de seu cliente e faz uso da tendência de pagamento instantâneo, muito forte para o ano de 2021.

Chatbots, Inteligência Artificial e Realidade Virtual

Faz parte da lista de tendências do e-commerce a personalização do atendimento e a promoção da interatividade no seu site. Ela permite ainda aprimorar a experiência de compra do cliente, aumentando as taxas de satisfação, tanto para pesquisa, quanto para finalização de compra.

Através de sistemas de IA você pode:

  • fazer o gerenciamento de inventário; 
  • programar assistentes digitais; chatbots de FAQ e conversa com o cliente;
  • emitir notas fiscais e formulários de satisfação
  • atualizar preços e promoções

O Aquiles é um exemplo de sistema de carrinho inteligente que pode ajudar nessa tarefa. Ele é capaz de recuperar os clientes que abandonaram o site ou o carrinho de compras, assim como aqueles que cancelaram o pedido. Faça um teste grátis por 30 dias para conhecer as vantagens e comprovar as chances de aumento das vendas do seu e-commerce. Qualquer dúvida, basta entrar em contato.

Já no caso da realidade virtual como uma das tendências do e-commerce, essa é uma estratégia que exige investimento, pois o consumidor terá a oportunidade de apreciar o produto, por exemplo, em terceira dimensão. Ou seja, conseguirá olhar para todos os detalhes. Ou então conseguirá simular a presença dele em algum ambiente, como no caso das lojas de móveis. Basta que ele tire uma foto ou aponte a câmera do celular para o seu quarto, por exemplo, e depois visualize como o móvel ficaria.

Essa opção permite que o usuário possa experimentar o produto antes de adquiri-lo. Assim como quando ele vai até uma loja física e veste uma blusa para saber se vai combinar ou não. A realidade virtual pode ser aplicada nesse mesmo sentido, facilitando e aumentando as chances de compra do produto.

Logística de entrega e experiências omnichannel como tendências do e-commerce

Muitos especialistas comentam que o futuro e as tendências do e-commerce passam pela experiência omnichannel, no qual o consumidor tem a possibilidade de interagir entre todos os meios e canais da marca (loja online, loja física, redes sociais, blog e aplicativos, por exemplo). Ele pode buscar por um produto na loja online, experimentar na loja física, fazer o pagamento via aplicativo e selecionar uma forma de entrega.

E por falar nisso, a opção de entrega em casa é só uma dentre as diversas possibilidades que o mercado criou e já vem colocando em prática. Tratam-se dos sistemas de locker; pick up point ou store, no qual o cliente tem a possibilidade de escolher a forma mais conveniente para receber a sua encomenda. Buscar em um armário com senha; retirar na loja mais próxima da sua casa ou em um ponto de entrega preestabelecido. Essas possibilidades se tornaram ainda mais estratégicas em um período pandêmico, evitando o contato de vendedores e clientes – e protegendo a ambos – sem dificultar o processo de compra, além de personalizar a experiência do usuário para os seus meios de preferência.